Tratamento de câncer infantil: conheça os que mais salvam vidas

 

Falar sobre tratamento de câncer infantil é extremamente importante. Afinal, o câncer é uma doença séria que pode afetar qualquer pessoa de uma hora para outra, inclusive as crianças.

Segundo dados do Sistema Único de Saúde (SUS), 20 crianças e adolescentes recebem diariamente esse diagnóstico no Brasil. A boa notícia é que o índice de cura da doença por aqui também é alto, com 80% de sucesso, quando o acompanhamento é realizado de maneira correta. 

Isso acontece, especialmente, porque os diagnósticos são feitos cada vez mais cedo, os pais estão de olhos abertos em relação aos sintomas dos filhos e a evolução da medicina faz muita diferença nos resultados. Quer saber mais? Saiba, a seguir, como é feito o diagnóstico e os principais tratamentos indicados para casos de câncer na infância.

Diagnóstico do câncer infantil

Antes de falar sobre qualquer tratamento, torna-se essencial dizer que eles são mais eficientes quando o diagnóstico da doença é feito de forma precoce. Então, o primeiro alerta é para que os responsáveis fiquem atentos aos sintomas persistentes:

  • vômito;
  • sangramentos;
  • dores de cabeça;
  • manchas na pele;
  • entre outros.

As células malignas que surgem na infância costumam ter origem embrionária, ou seja, não têm função específica. É por isso que, muitas vezes, as crianças respondem melhor aos tratamentos de câncer do que os adultos.

Dentro desse mesmo contexto, o câncer infantojuvenil geralmente afeta as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. Os cânceres mais frequentes na infância e adolescência ocorrem: no sangue (leucemia), na cabeça (sistema nervoso central) e no sistema linfático. E para todos existem tratamentos eficazes.

Tipos de tratamento de câncer infantil

Existem vários tipos de tratamento de câncer infantil. Todos variam de acordo com o tipo da doença, local do corpo em que ela está localizada e o seu estágio de evolução. Conheça, a seguir, alguns tratamentos responsáveis por salvar vidas!

Cirurgia

O método é o mais antigo e difundido. Consiste na remoção cirúrgica do tumor maligno do organismo da pessoa. Quando a doença é identificada no estágio inicial, pode ser totalmente curativo.

Quimioterapia

O paciente é tratado com medicamentos que destroem as células doentes. As células sadias também são atingidas e isso causa alguns efeitos colaterais. Apesar disso, se trata de um importante tratamento de câncer infantil, já que a maioria das células das crianças está em constante renovação e o organismo se recupera rapidamente.

Radioterapia

Inibe ou destrói os tumores a partir de radiações ionizantes. Geralmente é feito um planejamento para preservar os tecidos saudáveis, mas a possibilidade de surgirem efeitos colaterais existe. Em crianças, porém,  esse risco é maior porque os tecidos e os órgãos ainda estão em desenvolvimento.

Transplante de medula óssea

Consiste na substituição de células doentes por células-tronco da medula óssea. Pode ser um transplante usando células saudáveis do próprio paciente ou de outra pessoa. Funciona muito bem em determinados tipos de câncer, como o linfoma.

Imunoterapia

É um tratamento biológico que potencializa o sistema imunológico do paciente. Isso acontece ao estimular as células de defesa do organismo que podem reconhecer o tumor e aumentar a produção de anticorpos contra ele. Mesmo com tantos avanços na medicina, essa opção ainda não se aplica em todos os casos e costuma ser de difícil acesso por conta do preço bastante elevado. 

Profissionais de várias áreas

O tratamento médico do câncer é altamente especializado e complexo. Existem poucos centros de referência no Brasil, o que torna o processo ainda mais complicado.

Muitas crianças precisam viajar longas distâncias com os responsáveis para serem diagnosticadas. Além disso, a desinformação causa um grande medo de reconhecer os sintomas como um indicativo da doença.

Por este motivo, o tratamento inclui profissionais de várias áreas: pediatras, cirurgiões, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, fisioterapeutas e enfermeiros pediátricos. 

Apoio da família

Também é importante que a família esteja presente durante o tratamento para oferecer segurança e confiança de que tudo vai passar. Além da recuperação biológica, a atenção psicossocial é essencial pela agressividade da doença em diferentes áreas. Essa atenção promove uma melhoria no bem-estar e na qualidade de vida do paciente antes, durante e depois do tratamento biológico.

O tratamento de câncer infantil representa o início de uma luta e prestar apoio em uma situação como essa é essencial para que os bons resultados continuem. O diagnóstico precoce e a criação de uma estrutura que envolve os cuidados de saúde e emocionais são a chave para a recuperação do paciente.

Gostou das informações do post? Então deixe um comentário sobre o assunto e nos conte como você apoia essa causa.

Este conteúdo foi doado por SHARE | EPIC CONTENT

Redator: Yuri Ferreira

Revisor: Marcella Jeane Duarte

Planejamento de Pauta e Análise de Conteúdo: Epic Content 


Apoiadores